segunda-feira, 16 de abril de 2007

Algo Aconteceu!

Transcrevo abaixo, com autorização do autor (é claro!!), o texto do Pr. Celso Fonseca, de Pirajuí.
O Pr. Celso é um homem de Deus, conhecedor da Palavra, bem como um apaixonado por Missões. Temos estas e outras coisas em comum. Que Deus abençoe você e boa leitura!
***************************************************************
Todos os historiadores reconhecem que “algo aconteceu”, referindo-se aos fatos em torno da ressurreição de Jesus Cristo. É assim que Gary R. Habermas traz o seu comentário sobre as evidências históricas da ressurreição. Essas evidências são comprovadas pelos métodos críticos e aceitas como históricas pela maioria dos estudiosos.
Isso explica por que James Cameron ficou “falando sozinho” com seu documentário “O Sepulcro Esquecido de Jesus” (Que será exibido pela Discovery Channel, dia 29/04, às 20h). Nesse documentário ele insinua que uma ossada encontrada em 1980 na cidade de Jerusalém pertence a Jesus Cristo. Ninguém deu bola para isso porque não há evidências sérias para tal devaneio. Mesmo assim a Revista Galileu faz a seguinte pergunta crucial sobre o tema: teria uma descoberta arqueológica o poder de negar uma verdade da fé como é a ressurreição de Cristo para os cristãos? Para o padre Antonio Manzatto, não: “a teologia nunca disse que a ressurreição é um defunto que se levanta.”
Já para John Dominick Crossan, autor de “A Última Semana”, que foi monge católico, só teria sua fé abalada se este corpo fosse encontrado sem sinais de sofrimento. (para os cinéfilos recomendo “O Corpo”)
A verdade é que a morte de Cristo e sua ressurreição dentre os mortos é a doutrina central da teologia cristã e o fato principal da defesa dos seus ensinos.
Para ser mais claro: quem não crê na ressurreição de Cristo, ainda está sem salvação. A Santa Escritura diz: “Se você confessar com a sua boca que Jesus é Senhor e crer em seu coração que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo.” Romanos 10:9
Para muitos, como o padre Manzatto e o ex-monge Crossan, a ressurreição não é um fato verificável fisicamente ou historicamente. Mas os fatos alistados por Habermas argumentam decisivamente contra cada uma das teorias naturalistas ou gnósticas que influenciam esses teólogos liberais. Por isso quero trazê-los aqui:
1. a morte de Jesus por crucificação;
2. o subseqüente desespero dos discípulos;
3. suas experiências que acreditavam ser aparecimentos do Jesus ressurreto;
4. as testemunhas oculares dos aparecimentos de Jesus;
5. as vidas transformadas dos discípulos;
6. o túmulo vazio;
7. a incapacidade de os líderes judeus desmentirem essas asseverações;
8. a conversão dos céticos Paulo e Tiago, irmão de Jesus;
Só o texto de 1Coríntios 15:3-4 já seria suficientemente aceito como decisivo para comprovar historicamente a ressurreição de Cristo. Esse texto evidencia que Paulo “entrega” um pacote muito mais antigo que ele “recebeu”. Utiliza palavras não-paulinas e usa os nomes de Pedro e Tiago, como também expressões idiomáticas semíticas. Essas evidências mostram que a mensagem da ressurreição corporal de Jesus data realmente dos primeiros anos depois da crucificação. E como diria o ditado: a mentira tem perna curta. Ou como dizem alguns adversários da fé cristã, que a história é escrita pelos vencedores, mas esquecem-se que até o 4º século os cristãos não eram “vencedores” em matéria política e nem econômica, pelo contrário, eram perseguidos até a morte, resistindo na fé, bravamente."

Pr. Celso L. S. Fonseca - Pirajuí/SP

Um comentário:

Luís Augusto Vieira disse...

Irmão Jaaziel,

Quer o mundo aceite ou insista em negar a existência e a obra de Deus realizada pelo Salvador e Redentor Jesus Cristo, ISTO É UM FATO: Cristo veio ao Mundo, sofreu uma expiação infinita no Jardim do Getsêmani pelos pecados do mundo, padeceu na cruz e no terceiro dia ressucitou. Mais do que qualquer prova física, o Espírito Santo testifica no meu, no seu e no coração de quem busca exercer fé em Cristo que Ele vive e que ressucitou dos mortos. Sinto Sua influência cada vez que aplico em minha vida seus ensinamentos. Ele é o Salvador e Redentor do mundo, e através de Sua expiação teremos a oportunidade de ressucitar um dia para a vida eterna ou para a condenação eterna de acordo com nossa fé e obras aqui na terra.
Disto testifico, em nome de Jesus Cristo, Amém.

Compartilhe