quarta-feira, 11 de abril de 2007

Viver sem Pecar

"Se bem fizeres, não é certo que serás aceito? E se não fizeres bem, o pecado jaz à porta, e sobre ti será o seu desejo, mas sobre ele deves dominar". Gênesis 4.7

O conselho de Deus à Caim, nos mostra o quanto é difícil vivermos sem pecar. Não creio que alguém possa viver esta vida, sem cometer nenhum pecado. Nos poucos anos de vida que vivi (e graças à Deus por serem poucos ainda...), encontrei poucas pessoas que tiveram a ousadia (creio que melhor seria a palavra audácia) de dizer que pecaram "quase nada".
Lembro de um dia ter ouvido um Pastor afirmar que nunca havia dito um palavrão em toda a sua vida. Entretanto, um certo dia quando ficou profundamente irritado, proferiu uma palavra de baixo calão. Ele relatou que sua consciência o acusou de maneira tão forte, que fez um jejum de 40 dias somente a àgua, frutas e verduras, para que voltasse a sentir-se limpo.

Meus amigos, o que é isso?? Tamanho legalismo. Viver sem pecar, só Jesus. Mas tudo bem. As pessoas tem o direito de dizer o que quiserem, não é mesmo? O que me incomoda, é que a nossa situação não difere muito do contexto vivido por Jesus Cristo. Na Igreja, encontramos ainda as classes/seitas farisaicas, saducéias, os doutores da lei (que são aqueles que detém a única e verdadeira forma de hermenêutica bíblica conhecida e aceitável como doutrinária), enfim, nada diferente.

O mais intrigante: se as coisas não mudaram muito, as afirmações de Jesus também não devem ser diferentes. O reino vos é chegado! Queridos, o que quero dizer é que a 2ª vinda de Jesus está mais próxima do que imaginamos.

Se aceitarmos o conselho de Deus para Caim, temos que entender que o pecado cometido por ele, foi o do "Culto da incredulidade"!
Isso mesmo. Culto da incredulidade. Se a oferta de Abel foi aceita por Deus e o autor de Hebreus (Hebreus 11.4) afirma que isso só foi possível pela FÉ, logo (meio que aristotélicamente) a oferta de Caim fora rejeitada pela ausência da mesma, ausência de FÉ.

Essa geração assemelha-se muito com Caim. Culto com tudo que temos direito, mas isentos de FÉ. Temos "data-show", instrumentos, programas de TV, blogs, jornais, revistas, cd's de mensagens e de louvores, internet, orkut, msn, vídeo-conferência, tudo que a tecnologia pode oferecer, mas não temos os mesmos sinais abundantes da Igreja primitiva, porque nos falta a FÉ.

Minha esposa disse ontem a noite, algo muito interessante: "Jesus deve estar como aqueles aposentados e pensionistas do INSS, sentado numa confortável cadeira almofadada de espera, com uma senha na mão, esperando o momento de ser chamado para os cultos que prestamos hoje em dia". Ninguém ousa pregar que fomos salvos para servir e sofrer.

Por que??? Porque ninguém quer ouvir isso. Todos queremos o culto da chave, do pó de ouro, do nome em letras de ouro, do "reprepré do siriri" (como dizia meu amigo e Pastor Luciano Paes).

Queridos, quero alertá-los que está chegando a hora (e já chegou) que os VERDADEIROS ADORADORES necessitam urgentemente adorar a Deus em ESPÍRITO E EM VERDADE. Acompanhado de uma dose extravagante de FÉ!
Caso contrário, corremos o risco de sermos rejeitados e não fazermos bem, como no texto de Gênesis 4, não seremos aceitos. Não sendo aceitos, deixamos o ambiente propício para que o pecado bata na nossa porta. E a arma principal do pecado contra nós é o DESEJO. Ele primeiro estimula nossos sentidos, para poder disseminar em nós o DESEJO por algo desagradável a Deus, mas muito agradável à nossa carne. E isso, o adversário sabe muito bem fazer.

Amados, viver sem pecar é utopia. Não acredito nisso. E digo mais: quando vejo aqueles casais de velhinhos, bem velhinhos mesmo, que dizem em seus depoimentos e testemunhos frases do tipo: "Estamos casados há trinta e tal anos e nunca discutimos ou brigamos". Mentira! Isso é mentira. Perdoem-me, mas é mentira. Isso é impossível. Não acredito.

Portanto, creio sim, numa vida piedosa, cheia de fé, prudência e dependência de Deus. Sem estes elementos, vamos pecar e fazer do pecado, nosso escape, nossa saída de emergência quando nos sentirmos frustrados e fracassados.

Quero estimular você a não pecar. Porém, se você pecar, temos um advogado... ainda. Mas cuidado: vai chegar um dia que Ele vai deixar a defensoria do céu e vai passar a exercer a magistratura divina. Daí, meu irmão, será tarde demais para apelar para Ele.

Vamos cultuar sabendo que sem fé, a brecha se abre para a importunação do pecado. Afirmo que os dardos inflamados do inimigo, descritos na epístola paulina aos Efésios, referem-se a dardos, não flechas. O que o nosso inimigo pode lançar contra nós é pequeno, mas inflamado. Quando penetra nossa carne ou veste, vem acompanhado de fogo que se espalha rapidamente em nosso corpo, queimando-o.

Que Deus nos abençoe e ajude a viver sem o hábito do pecado e diariamente oferecendo a Ele, uma vida de culto aprovado, cheio de FÉ!

Paz do Senhor Jesus seja contigo, hoje e sempre!

Nenhum comentário:

Compartilhe