quinta-feira, 5 de julho de 2007

INGENUIDADE EVANGÉLICA BRASILEIRA

Segue abaixo mais um excelente artigo do meu amigo Pr. Celso Fonseca da Igreja Cristã Missionária de Pirajuí - SP.

Abraço a todos e aproveite!!!

Poderia até ser uma nova denominação evangélica no Brasil. É um nome que cairia muito bem para a maioria do povo evangélico.
Onde foi parar o sonho dos evangélicos de mudar o Brasil? Há vinte anos, lembro-me de que o crescimento evangélico trazia promessas de um Brasil mais honesto, mais fiel, enfim, a idéia de um Brasil melhor.
Mas sucessivos escândalos envolvendo importantes lideranças evangélicas no Brasil ameaçam ruir o sonho de um povo mais ético. Refiro-me ao pastor e deputado federal Mario de Oliveira (PSC-MG) e as notícias de sua briga política com um companheiro seu, o deputado Carlos Willian (PTC-MG) que fez graves denúncias. Não é só mais um parlamentar a manchar a imagem do Congresso Nacional, mas é um presidente de umas das melhores igrejas no Brasil. Um povo de Deus, prestando grande serviço ao Reino dos céus.
O que me consola, neste caso, é que esta denominação evangélica, diferentemente de outras que tem passado por situações semelhantes, tem mecanismos que permitem a substituição de líderes envolvidos com imoralidade. Creio que isso acontecerá, se não prevalecer a politicalha dentro da instituição.
Portanto, quero estabelecer aqui uma distinção entre o povo e seus líderes. A Bíblia ensina sobre essa distinção. Mas existem aqueles líderes que começaram certo e se corromperam por umas das três barras de sedução: a barra de ouro, a barra de terra e a barra da saia. O evangelista Billy Graham sempre alertou os líderes para que não se corrompessem em três principais áreas: Dinheiro, poder e sexo.
Quando se forma uma comunidade cristã e ela não prevê que seus líderes são homens falíveis, que podem pecar e cair da presença de Deus, como caiu Lúcifer, instala-se aí a ingenuidade.
A mesma ingenuidade que vimos e vemos em alguns integrantes da esquerda com relação aos seus líderes.
Precisamos de líderes, mas é necessário que eles sejam exemplos de boa conduta. A cada eleição vemos homens que já deram prova da sua desonestidade assumirem cargos públicos pelos votos da massa. Parte dessa massa é ingênua. Como acontece na igreja evangélica. Jesus alertou que isso aconteceria. Tanto o Senhor Jesus como Paulo usam a palavra lobo para qualificar esses líderes (Mateus 7:15; 10.16; Lucas 10:3; Atos 20:29). “Eu os estou enviando como ovelhas entre lobos. Portanto, sejam astutos como as serpentes e sem malícia como as pombas” (NVI – e todas as outras)
Não é em vão que Paulo tem que exortar a igreja evangélica de Corinto: “Irmãos, deixem de pensar como crianças. Com respeito ao mal, sejam crianças; mas quanto ao modo de pensar; sejam adultos.” 1Coríntios 14:20.
O que nos consola é que, se não temos mudado o sistema das coisas aqui no Brasil, temos visto milhões de vidas e famílias transformadas. Todos os dias, milhares de pessoas são abençoadas nos templos e nos lares evangélicos. Todos conhecemos pessoas que foram transformadas pela Palavra de Deus.
Resta-nos ver que esse povo é o sal da terra e a luz do mundo como disse o nosso Mestre. Que este povo possa influenciar os recônditos do poder nesta nação. Só aí o sistema vai mudar para melhor. O povo de Deus precisa aprender o que diz o apóstolo Paulo, “julgar a si mesmo”. (1Co 6:1-6).
Para não sermos ingênuos e crianças no juízo e para sermos astutos como as serpentes e sem malícia como as pombas, façamos mecanismos e expurguemos o mal do nosso meio. Só assim o sonho poderá ser alcançado, um Brasil realmente transformado pelo poder da Palavra de Deus.

Pr. Celso Fonseca

Nenhum comentário:

Compartilhe