sexta-feira, 28 de setembro de 2007

A VINÍCOLA DO ESPÍRITO SANTO!

(Pr. Fábio Feo, Pr. Ademilson Oliveira e Pr. Jaaziel Marcelo).

Abaixo você tem o esboço do sermão que foi pregado ontem (27/09) na Igreja Assembléia de Deus em Catanduva/SP, pastoreada pelo meu amigo e irmão em Cristo Jesus, Pr. Ademilson Gomes Oliveira (vide foto acima). Aproveite!!!!
****************************************************************************

Para recebermos o vinho novo de Deus, necessitamos passar por estas fases que fazem parte do processo de cultivo da vinha. Na Bíblia, a vinha sempre será associada ao reino de Deus, ao povo de Deus e, a videira verdadeira é Jesus. Deus quer nos ensinar algo através do processo de fabricação de vinho. Vamos aprender com a vinícola do Espírito Santo de Deus:

I – DEUS É VITICULTOR. ELE SABE CULTIVAR. ( Is. 27.1-3)

* Deus trabalha para proporcionar a regeneração ao ser humano.

* Deus é viticultor por excelência. Ele nos compara a uma vinha, pois sabe que há vários requisitos para preencher, antes de cultivar uma vinha.

Eis algumas:

* Preparar o solo: Deus prepara o solo do nosso coração (Rm 10.6-10)

* Escolha das Castas: Há 24.000 nomes diferentes para os mais de 3.000 tipos de uvas que existem. Destes, apenas 150 são plantados comercialmente. Deus é seletivo nas suas escolhas. O NOVO DE DEUS NÃO É PARA TODOS! APENAS PARA OS ESCOLHIDOS!! Mt. 22.14.

* Conduzir o plantio: Existem diversas formas de distribuir as videiras, de acordo com o “desenho do solo”, conforme a topologia escolhida. Existem formas de condução tradicionais e modernas, mas todas têm uma finalidade em comum: permitir que a luz solar chegue aos cachos, que de outra forma seria encoberta pelas folhas da videira.

PERMITA QUE A LUZ DE DEUS CHEGUE ATÉ OS SEUS FRUTOS!! (João 8.12 ).

II – É HORA DE APRESENTAR OS FRUTOS (COLHEITA) Mc. 13.27

  • A colheita deve ser feita no momento preciso. Quando o cacho amadure, o nível de acidez diminui e o teor de açúcar aumenta. Este é momento exato para a vindima.
  • Se a colheita for prematura, resulta em vinho aguado com baixa concentração de álcool. Se for muito tardia, resultará num vinho muito alcoólico mas com pouca acidez.
  • Colheita difere de coleta! Deus quer colher frutos de sementes que foram plantadas. Coletar é recolher algo que não foi plantado. O diabo coleta, Deus é o Deus da colheita.

Tão logo a vindima termine, passa-se ao próximo passo:

III – DESFRUTANDO DO LAGAR DE DEUS.

Antigamente era feito com os pés dos viticultores. Hoje este processo é totalmente automatizado.

  • O esmagamento é a fase em que tudo o que é inútil para o produto final, seja separado, retirado. Um dos itens que não interessa é a CASCA!! Deus não quer uma adoração feita de casca, um louvor feito de casca, uma vida cheia de cascas, de máscaras!!! - João 4.24
  • Para isto, precisamos ser pisados, esmagados por Deus (Is. 66.2 )
  • Esta fase é marcada pelas provas da nossa fé, que resultarão em perseverança (Tg. 1.2,3 - Meus irmãos, tende grande gozo quando cairdes em várias tentações; 3 Sabendo que a prova da vossa fé opera a paciência.)
  • Somente a paciência pode nos fazer companhia nesta hora II Pe. 3.9 - Não tornando mal por mal, ou injúria por injúria; antes, pelo contrário, bendizendo; sabendo que para isto fostes chamados, para que por herança alcanceis a bênção. Tg. 5.7
  • Será que estamos entoando louvores enquanto passamos pela prova? (At. 16.24,25 - O qual, tendo recebido tal ordem, os lançou no cárcere interior, e lhes segurou os pés no tronco. 25 E, perto da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a Deus, e os outros presos os escutavam.)
  • O segredo para que o momento de provação passe mais rápido: CANTE LOUVORES! Enquanto as uvas eram esmagadas nos lagares, havia voz de louvor (Is. 16.10) Jr. 25.30 - O SENHOR desde o alto bramirá,... como dos que pisam as uvas, contra todos os moradores da terra.
  • Você quer receber riquezas, honra e vida ao mesmo tempo? Este é o galardão dos que são humildes, dos esmagados por Deus (Pv. 22.4 - O galardão da humildade e o temor do SENHOR são riquezas, honra e vida. (heb. Anavah)
  • As maiores promessas de felicidade são feitas aos humildes (Sl 147.6 - Is 57.15 - Mt 5.5 - 1 Pe 5.5).

IV – O AÇÃO INVISÍVEL E EXPLOSIVA DO PODER DE DEUS (FERMENTAÇÃO)

  • É aqui que entram em cena os ODRES!
  • Durante a fermentação, os odres tem que ser flexíveis para não romperem.
  • Se o odre não for a altura da transformação que vai acontecer, tudo estará perdido.
  • Em Esdras 3.10-12, encontramos um fenômeno na prática. Qdo os fundamentos do 2º Templo foram lançados, todo o povo bradou de alegria. (v.11).
  • Mas o mais velhos só conseguiam chorar. (v.12). Não suportaram ver o novo se levantando, estavam apegados ao passado, apegados ao ODRE VELHO!!
  • Deus quer operar algo novo, um processo de transformação em nossas vidas (II Co. 5.17 – Kainós=novas coisas!!)
  • Nesta fase, há um crescimento e potencialização do que Deus quer realizar em nós.
  • O vinho sob a ação do tempo. O que Deus quer operar, muitas vezes não vai acontecer instantaneamente.

V – CONCLUSÃO

Ainda existem as fases do envelhecimento e engarrafamento. Estudos indicam que + de 90% do vinho consumido no mundo não passa por + de 2 anos de envelhecimento.

Ou seja, Deus quer nos usar AGORA. A obra requer URGÊNCIA!!!

Jesus em 3 anos de ministério, deu início a uma obra que não parou de crescer por 19 séculos!

ALERTA!! CUIDADO COM A VINHA INFRUTÍFERA!

Uma vinha infrutífera era abandonada e as videiras secas eram usadas para fabricar carvão vegetal. (Ez. 15.4 - Eis que é lançado no fogo, para ser consumido; ambas as suas extremidades consome o fogo, e o meio dela fica também queimado; serviria porventura para alguma obra?)

João 15.6 - Se alguém não estiver em mim, será lançado fora, como a vara, e secará; e os colhem e lançam no fogo, e ardem.

segunda-feira, 24 de setembro de 2007

UMA IGREJA CHAMADA PARA SER VALENTE

Em Mateus 16.13-19, Jesus faz um interrogatório aos seus discípulos. Vale lembrar que a intenção era saber o que eles pensavam a seu respeito, saber a opinião deles, fazer um "check up" sobre o andamento do discipulado.

Assim como Jesus fez, devemos periodicamente fazer uma checagem sobre como andam as coisas com os discípulos. Este tipo de avaliação deve ser feita não somente com aqueles que discipulamos, mas também com o nosso próprio discipulado. O que muitos líderes cristãos estão esquecendo de fazer, entregando-se diariamente ao ativismo e ao sedentarismo espiritual.


I - QUEM É JESUS PARA VOCÊ?

A preocupação de Jesus era saber quem Ele era para os discípulos. A pergunta inicial sobre quem Ele era para as multidões, serviu apenas para fazê-los refletir para a próxima pergunta. Jesus estava querendo uma confissão sincera e comparada com o que a maioria dizia.

Para Jesus, a opinião mais importante será sempre a nossa, daqueles que andam com Ele, esforçam-se por merecê-Lo.
O que a maioria diz, o que o mundo diz, o que a sociedade diz ao Seu respeito, é menos essencial do que nossas próprias impressões a respeito do Mestre.

Quem é Jesus para você HOJE? Ontem já foi, o amanhã ainda não veio. Mas HOJE... O que você tem a dizer a respeito dEle HOJE...

II - DEVEMOS DECLARAR QUEM É JESUS PARA NÓS!

Muitos pregadores, conferencistas, etc... quando se trata da pessoa de Pedro, costumeiramente tendem a criticá-lo de forma veemente. Eu gosto de Pedro. Suas reações eram a fiel demonstração de sinceridade em busca da renovação do seu caráter. Um discípulo sem máscaras, sem formalismos, sem religiosidade. Alguém que negou quando negou e declarou quando declarou. Uma pessoa que não tinha papas na língua, meio destrambelhado, mas sincero.

Sua resposta em nome do grupo foi a pura manifestação de Deus na vida do ser humano. Glória a Deus suas palavras não vieram dele mesmo, da sua própria sabedoria ou do seu intelecto (até porque ele era indouto, semi-alfabetizado mesmo...).

Jesus ouve a declaração de Pedro e glorifica a Deus... Muitas vezes, Deus quer falar através de nós, mas as barreiras que nós mesmos criamos impedem o agir de Deus em e através de nós.

Deixe de formalizar Deus, pare de institucionalizar o mover do Espírito Santo de Deus.

III - UM ALERTA: UMA ARMA PERIGOSA EM NOSSAS MÃOS.

Eu não vou gastar tempo falando sobre as palavras gregas que Jesus usou para se referir a Pedro="petros" e pedra="petra", distinguindo claramente a pessoa de Pedro e a sua declaração, afirmando que sobre esta última (e não sobre a pessoa de Pedro) Ele edificaria a Sua Igreja.

Quero me ater um pouco mais sobre um poder que Deus nos outorgou como Igreja, a "eclesia", os chamados para fora: o poder de ligar e desligar!

Deus entrega um controle-remoto nas nossas mãos e diz: Tudo o que ligares e desligares....

Isso é perigoso demais. Quando ligamos uma pessoa à saúde de Cristo, estamos desligando-a da enfermidade do mundo. Quando desligamos alguém da influência do diabo, estamos ligando-a ao dominío do Reino de Deus que nunca terá fim.

Algumas pessoas inescrupulosas estão brincando de Igreja, brincando de ser pastor, brincando com as pessoas, com os sentimenos delas. Exercendo a coação e coerção espiritual. Deus nunca vai tratar alguém assim. O maior perigo é uma arma carregada nas mãos de uma criança.

Quantas notícias já tivemos de crianças que morreram ou foram gravemente feridas por uma arma que caiu nas suas mãos???

Da mesma forma, temos visto muitas pessoas que "morreram" ou foram gravemente "feridas" espiritualmente falando, porque alguém ou alguns não souberam utilizar esta ferramenta dada por Deus.

O que você tem feito com esta arma? Tem ligado as pessoas ao senhorio de Cristo? Ou tem servido de pedra de tropeço na vida delas, desligando-as das bênçãos do Todo-Poderoso???

Que nossas vidas possam ser usadas por Deus de forma irrestrita e responsável. Que você possa ser uma Igreja valente, que sabe usar as armas espirituais da nossa batalha. Lembre-se: nossa luta não é contra a carne e sangue mas contra os principados, potestades, hostes espirituais da maldade. Nosso arqui-inimigo é espiritual e vamos vencê-lo no campo espiritual.

Um forte abraço em nome de Jesus!!

Pr. Jaaziel Marcelo
***************************************************************************
ESTA MENSAGEM E OUTRAS ENCONTRAM-SE À SUA DISPOSIÇÃO EM CD DE ÁUDIO.

ADQUIRA UM CD DE MENSAGEM E PRESENTEIE, EVANGELIZE E TENHA NO SEU ACERVO DE CD'S!!! CLIQUE AQUI E SAIBA COMO!

ABENÇOE ESTE MINISTÉRIO E VOCÊ SERÁ RICAMENTE ABENÇOADO TAMBÉM!!!
***************************************************************************

terça-feira, 11 de setembro de 2007

A PARÁBOLA DA OPORTUNIDADE (Mateus 21.28-32)

Amados, nas linhas abaixo, quero resumidamente apresentar a cerne da mensagem pregada no último domingo, na Igreja Batista Missionária de Pirajuí, pastoreada pelo meu amigo e missionário Pastor Celso Fonseca. O Pastor Celso tem, gentilmente, cedido alguns artigos que ele escreve no jornal local "O Alfinete".
No domingo passado, 09, estivemos lá para falar sobre um tema maravilhoso: MISSÕES!

Nesta parábola, temos a figura de um pai, dois filhos e uma vinha. Jesus utiliza-se de elementos do cotidiano da época para apresentar uma nova visão para os seus discípulos.
Vale lembrar que, nos versículos anteriores, os principais sacerdotes estavam questionando sua autoridade para ensinar o povo.

Jesus propõe uma parábola: A parábola dos dois filhos.

Na verdade, temos alguma lições implícitas no texto e queremos enfatizar o aspecto missionário das palavras de Jesus.

I) DEUS TEM URGÊNCIA MISSIONÁRIA (v. 28)
Jesus disse que o pai falou para o filho: -Filho, vai trabalhar na minha vinha HOJE!
Ele não disse que era para esperar, para a semana que vem, que era condicional esta ordem. Era URGENTE! Não podemos negligenciar a obra do Senhor, colocando-a na derradeira posição das nossas prioridades. Deus quer discípulos obedientes HOJE. Não amanhã!
Deus tem um desejo abundante em Seu coração: que todos os homens se salvem. Mas como fazer com que a mensagem chegue até eles?? Se muitas vezes nós somos o principal impeditivo para a obra evangelística avançar?
O pai disse que a vinha era dele, mas ela era herança dos filhos. Portanto, todo e qualquer investimento na vinha do pai, representa um investimento no próprio patrimônio. O que Deus deseja de nós é que invistamos na vinha do Senhor (Igreja) porque ela é nosso patrimônio, nossa herança, os bens espirituais da Igreja do nosso Senhor Jesus Cristo, pertencem a nós e nossos filhos para sempre.! (Dt. 29.29);

II) O CHAMADO DE DEUS PARA O SERVIÇO É UNIVERSAL. (v. 28 e 30)
O pai tinha dois filhos. O mesmo convite fora estendido aos dois. Isto significa que Deus quer que a sua Igreja seja TOTALMENTE envolvida na Sua obra. Não podemos mais aceitar uma Igreja dependente de uma minoria ou que espera que o Pastor seja "tudo em todos"... Este é o papel do Espírito Santo de Deus. É Ele quem opera tudo em todos (I Co. 12.6).
Nosso envolvimento tem que ser total, nosso comprometimento tem que ser integral, nossa devoção deve ser exemplar, nosso testemunho deve ser tocante, nossa empolgação deve ser máxima em fazer e realizar a obra que Jesus deixou aos seus discípulos. Quando Jesus voltar, bendito será o servo que o Senhor encontrar SERVINDO ASSIM (Mt. 24.46).
Não temos opção. A inércia não é uma escolha, o comodismo não é aceitável, as desculpas têm de dar lugar à prontidão.

III) HÁ DOIS TIPOS DE CRISTÃOS REPRESENTADOS NESTES DOIS FILHOS: O VERDADEIRO E O FALSO. (v. 29,30).
Nas atitudes dos filhos, vemos o contraste entre dois grupos de discípulos que Jesus queria enfatizar nesta parábola: a diferença entre o verdadeiro e o falso, entre o religioso e o sincero, entre o legalista e o espiritual.
Note que a reação do primeiro foi negativa, mas sua atitude foi positiva. Já a reação do segundo foi positiva, mas sua atitude foi negativa. Isto quer dizer que, tanto nossas palavras, quantos nossas ações, devem ter coerência diante do Senhor. Chega de pregar uma coisa e viver outra! Chega de banalizarmos nossas atitudes, achando que estamos enganando alguém. De Deus não se zomba!
O verdadeiro sentiu alguma coisa no seu interior. Deixou que o Espírito Santo trabalhasse nos seu coração, com seus conceitos, na sua mente.
Será que temos permitido ao Espírito Santo de Deus agir em nosso interior? Será que temos deixado de lado nosso emocional e ouvido mais o nosso racional? Em dias de Teologia da Prosperidade e tantas outras "novidades" pregadas inescrupulosamente em nossos púlpitos, será que ainda submetemos a mensagem que ouvimos ao crivo da Palavra de Deus?
O primeiro filho representa uma geração que ainda atenta para as palavras do seu Pai.
O segundo filho representa uma geração que, além de não atentar para as palavras do Pai, tenta viver um cristianismo raso, superficial, insólito e aventureiro. Uma geração marcada pela divisão e pela discórdia, pela ganância que tomou conta de tantos "apóstolos" e "bispas" destes últimos dias. É isso mesmo!!! Destes ÚLTIMOS DIAS. Estamos perto, muito perto da nossa redenção, sim.

Qual filho representa sua atitude? Qual filho representa seu envolvimento com a obra missionária? A vinha precisa de trabalhadores e não paroleiros que com sua boca dizem uma coisa, mas na verdade sua vivência é outra completamente diferente. Se dermos ouvidos à voz do Espírito Santo de Deus, certamente algo vai mudar dentro de nós e nossa atitude será diferente, ainda que no calor da nossa emoção, tenhamos um discurso diferente....

Nossa atitude pode mudar o efeito das nossas palavras.

Fique com Deus e que o Espírito Santo possa ter liberdade para agir em nossos corações, amém???

Pr. Jaaziel Marcelo


Compartilhe