sexta-feira, 7 de agosto de 2009

A IGREJA SANSÃO

Quando lemos na Bíblia Sagrada, mais especificamente no livro de Juízes, a saga deste juíz israelita é muito interessante e edificadora.
Porém, o que me chama a atenção é o fato de Sansão ter feito tudo diferente do seu chamado, do seu voto de nazireado.
O final da sua história é terrível. Um cego entre as colunas de um templo dedicado a um deus falso, o temível Dagom, deus da agricultura.
Agora o escolhido Sansão servia de brinquedo de manipulação diante de mais de 3.000 pessoas. Objeto de zombaria e de escárnio.
Vejo a Igreja deste nosso tempo como Sansão no templo de Dagom.
Preferimos fazer tudo o que o nosso coração manda do que fazer o que Deus nos ordena. Sansão foi traído pelo seu coração, não por Dalila.
Quando foi preso, Sansão teve a cabeça raspada. Sinal de fraqueza, pois nos seus cabelos residia a sua força.
A Igreja dita neo-pseudo-pentecostal-pós-moderna, é um gigante Sansão enfraquecido. Caído diante das negociações de um deus qualquer.
Sansão teve os seus olhos furados. Perdeu a visão. Esta Igreja que vejo por aí, perdeu a visão já faz muito tempo.
Quando falo de visão, não falo de novas estratégias, de palavras proféticas ou revelações as mais diversas. Principalmente quando assisto estes programas dos "tele-evangelistas brasileiros". Fico pasmo diante de "tristemunhos" do tipo: "Depois que vim a esta reunião dos xxxxx, a minha vida mudou, hoje tenho uma vida próspera".
Quem sabe a oração de Sansão quando perdeu a visão fosse essa. "Senhor, me dê um carro zero, me dê muito dinheiro para pagar pela minha liberdade. Eu determino que as minhas cadeias sejam rompidas!" Já pensou?
Mas não foi assim, a oração de Sansão foi pedir para ser usado por Deus pela última vez.
Uma oração tremenda! Uma oração corajosa! Quero ser usado por ti apenas mais uma vez!
Sansão pediu para ser colocado num lugar estratégico na casa de um falso deus. Muitas pessoas estão servindo de bobos da coorte para um deus falso, um deus chamado interesses de mercenários, um deus falso chamado luxúria, roubo, dissensão, adultério, pornografia, enfim...
O desejo do meu coração é que a Igreja acorde a tempo de tomar uma atitude: romper com as colunas deste templo de Dagom, derrubar as barreiras e se libertar.
Que Sansão receba forças para sair desta situação humilhante, portanto, eu encorajo você a examinar claramente as bases doutrinárias da Igreja que você pertence.
Não faço o mesmo que um filósofo brasileiro disse. Igreja tem que ter mais de 1.000 anos para ser uma boa Igreja.
Discordo. Esquece-se o tal filósofo que a religião mais antiga que existe, segundo historiadores tomando por base o descobrimento de vestígios e manuscritos, seria o Hinduísmo, crença adotada por 80% da população da Índia. Esquece-se também que esta mesma "crença", determinava que, quando o homem morria, deveria ter o seu corpo queimado e suas cinzas jogadas no Rio Gangis. DETALHE: a mulher dele deveria ser queimada junto com ele!
Que coisa mais linda, não??? Nessa época, ninguém se importava de morrer solteira.
Assim sendo, o que realmente importa, não é a idade da "religião", mas o que a dita Igreja declara crer em relação às Sagradas Escrituras.
Se ela tem 100, 500 ou 1.000 anos de idade, sinceramente não vem ao caso.
Até porque, quando Jesus Cristo esteve por aqui, a sua "religião" já era antiquíssima, e mesmo assim, lutou para uma reforma dentro do judaísmo.
Creio convictamente que Jesus foi o primeiro Reformador da fé e, consequentemente, da religião.
Se ele estivesse encarnado novamente e, estivesse no nosso país, certamente derrubaria novamente as banquinhas dos bicheiros da fé, dos vendedores de bênçãos e denunciaria novamente o comércio de indulgências modernas.
Sansão, quebra tudo! Assim como Jesus um dia quebrou!
Se você estiver amordaçado pela sua atual "Igreja", empurre as colunas e veja o livramento do Senhor!
Um forte amplexo e fique com Deus!!
Pr. Jaaziel Marcelo

Nenhum comentário:

Compartilhe