quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Igreja Luterana da Suecia aprova casamento religioso entre gays

Igreja Luterana da Suécia aprova casamento religioso entre gays
A decisão passou por votação

A Igreja da Suécia decidiu permitir que seus sacerdotes realizem casamentos de casais compostos por pessoas do mesmo sexo. A decisão de hoje foi aprovada por 176 votos a favor e 62 contra. Onze integrantes do conselho da igreja, que é luterana, se abstiveram, e dois não compareceram.

Em maio, a Suécia introduziu uma lei que dá aos casais gays os mesmos direitos de casamento dos heterossexuais. Mas o clero ficou dividido sobre a questão, já que para alguns a cerimônia religiosa deveria ser reservada para casais formados por uma mulher e um homem. Os casamentos religiosos de pessoas do mesmo sexo terão início em 1º de novembro.

O arcebispo sueco Anders Wejryd disse que estava contente com a decisão. A Federação Sueca pelos Direitos de gays, lésbicas, bissexuais e transgêneros descreveu a medida como "um grande passo na direção certa".

Fonte: Agência Estado


COMENTARIO DO PR. JAAZIEL:

Quando lemos esta afirmação, vemos claramente uma minoria se levantando contra uma grande maioria surda, cega e muda. O que eles na verdade querem senão tentar inverter a situação entre Golias e Davi. Ou seja, nos somos os Golias e eles se tornaram nos Davis da vez....
Simplesmente ABSURDO!!!

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

DESISTO DE TENTAR ENTENDER CERTOS LÍDERES



Shalom!

Gostaria de aproveitar o espaço a mim concedido por Deus neste lapso de existência chamada vida, para dizer algumas coisas que me custam descer pela goela com sabor agradável:


  1. Toda vez que tento estabelecer um diálogo saudável com algum líder denominacional renomado, que brilha na esfera de sua dimensão sapiencial, geralmente teológica, acabo me frustrando por descobrir que não há somente artistas no meio gospel em geral, mas também no meio teológico em geral. Daí surge a pergunta: como Jesus seria nos dias de hoje? As pessoas iriam se impressionar ao ouví-lo ou achariam seu discurso chato e insosso?
  2. Quando analiso a realidade eclesiástica da minha geração, acabo me sentindo impotente diante de tanta segregação religiosa que nós mesmos fomentamos, ao sabor das nossas divergências mal resolvidas. Daí surge a pergunta que não quer calar: quando é que os nossos sinédrios contemporâneos vão deixar os pedestais em que se encontram e vão REALMENTE abrir mão do seu espólio religioso em nome de uma nova resposta para a humanidade perdida?
  3. Ao olhar para nossa realidade religiosa, tão exposta a um evangelho consumista do ponto de vista pragmático e tão místico do ponto de vista espiritual, sinto um desejo enorme de deixar de pregar, abandonar "a carreira que me foi proposta", em detrimento de cuidado familiar e refúgio existencial. Daí surge outra pergunta: se as pedras se calarem haverá substituto?
Sei lá, deve ser o entardecer nostálgico de uma sexta-feira quente, ensolarada, horário de verão (onde o dia demora para acabar), muito trabalho (secular), muito trabalho (faculdade), muito trabalho (relacionamento familiar), muito, mas muito trabalho mesmo (Igreja local).

Seja o que for, estou desistindo de tentar entender certos líderes e seus liderados, certas igrejas e seus pastores, certos irmãos e seus evangelhos pessoais, certos colegas de ministério e seus transtornos bi-polares religiosos.

Deixei de ser batista por acreditar numa experiência espiritual mais marcante. Encontrei no pentecostalismo um vale abundante a ser explorado. Diferente da planície monótona da teologia histórico-tradicional.

Estou assembleiano (como costumo dizer) mas não consigo entender os párocos da Igreja Assembléia de Deus e seus paroquianos. Os pequenos príncipes e seus reinos pessoais na briga por território geográfico e midiático. Que pobreza.....

Mas tem batista que merece partir para a eternidade batista.

Enquanto isso, na sala da justiça, prefiro ser uma metanóia ambulante do que ter aquela velha opinião paradigmática sobre tudo. Ei, não me chame de profano! Há uma grande diferença entre metanóia e metamorfose. E Raul Seixas não sabia disso. Quem conhece um pouquinho de grego koiné, sabe o que estou a dizer.

Prefiro o discipulado ao império pessoal.
Prefiro a humildade a honra.
Prefiro a Palavra a palavra.
Prefiro o mártir ao herói em causa própria.
Prefiro Cristo ao cristianismo.
Prefiro Deus aos deuses.
Prefiro a paz.

Shalom e até a próxima!!

Pr. Jaaziel Marcelo

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

O CALCANHAR DE AQUILES DA IGREJA



O número de divórcios no Brasil cresceu quase dez vezes nas últimas três décadas. Segundo dados do IBGE, o país registrou 16.500 divórcios em 1980. Esse número pulou para 94.896 em 1993 e chegou a 162.244 em 2006. Em 2007, o instituto contabilizou 244.034 divórcios e separações judiciais no Brasil, o que representou 26,64% dos 916 mil casamentos realizados no país no mesmo ano.

Isto significa dizer que, de cada 10 casamentos no Brasil, apenas 8 vão continuar juntos. Considerando o que Jesus disse acerca do casamento, estamos cada vez mais distantes de poder dizer: Eu e a minha casa serviremos ao Senhor!
Estes dados são preocupante e nos levam a fazer algumas perguntas:
  1. A Igreja está exercendo o seu papel de guardiã da sã doutrina e lutando para que seus membros permaneçam sob o manto sagrado do casamento?
  2. Os líderes da Igreja contemporânea estão preparados para enfrentar esta dura realidade ou se adequando à situação e também se divorciando?
  3. A Igreja mantém um programa de apoio à casais em crise ou apenas sobrevive de cursinhos teóricos que se limitam a transmitir conceitos sobre casamento?
  4. A Igreja repete o mesmo discurso de Jesus sobre assunto: o que Deus uniu não separe o homem?
  5. A Igreja oferece um aconselhamento preparatório ao casamento para seus membros que pretendem contrair núpcias ou apenas agenda a cerimônia e "seja o que Deus quiser!" ?
  6. Nossos líderes possuem treinamento específico sobre o assunto ou apenas aprendem "por osmose" o que sabem e transmitem paradigmas teológicos e bíblicos sobre o matrimônio?
  7. Pergunte ao seu líder (caso ele seja casado) se ele é feliz no casamento ou apenas não tem o que reclamar?
  8. O casamento é encarado como parte integrante da missão que foi confiada a nós enquanto discípulos que devem levar a cada dia a sua cruz ou como a única alternativa para satisfazer o desejo sexual enquanto crentes?
  9. O casamento é uma idéia de Deus ou um projeto carente de reformulação com data de validade vencida?
  10. O que será que Jesus pensa sobre o assunto? Será que mudou de idéia? Creio que os dados estão aí para alertar a Igreja. Enquanto estamos preocupados com templos suntuosos e grandiosos, enquanto nos preocupamos com a estética de nossos cultos, enquanto perdemos tempo pensando na satisfação das nossas próprias vaidades, o mais importante está sob ataque.
O casamento não perdeu sua validade, continua a ser um projeto de Deus e o fim último da nossa existência humana na terra. Deus não mudou de idéia. Agora me diga uma coisa: não será este o fator causador de tantas deformações sociais, entre elas, o homossexualismo? Não seria o homossexualismo uma consequencia de casamentos destruídos e desprovidos de figuras paternas e maternas que marcam a nossa história de tal maneira, que nos sentimos estimulados a dar continuidade?
Não seria exagero lembrar que o casamento é uma das figuras utilizadas por Jesus para se referir à sua união com a Igreja. O noivo e a noiva. Que a figura que usou para falar sobre sua 2ª vinda foi uma festa de casamento, as bodas do cordeiro.
O que aconteceu? Onde está o erro ou onde estão os erros?

Não posso crer que existam tantos casamentos irreparáveis. O que é impossível para os homens é possível para Deus! Só há uma limitação: corações duros e fechados. Se há alguma coisa que limita a esfera de ação de Jesus em nossas vidas é um coração fechado. "Eis que estou à porta e bato. Se alguém OUVIR a minha voz e ABRIR a porta, ENTRAREI e CEAREI com ele e ele comigo." Apocalipse 3.20.
Ouvir, abrir são atitudes que dependem de nós. Entrar e cear são atitudes consequentes e estão ligadas. Jesus só entra e participa da nossa mesa se ouvirmos e abrirmos a porta do nosso coração.

Uma das grandes influências é a mídia pós-moderna que apregoa uma vida independente, com as seguintes afirmações subliminares: Casamento é estado de convivência comum e conveniência. Caso não satisfaça pré-requisitos impostos pela personalidade de cada um, não serve. Casamento não é uma missão, é apenas parte da evolução dos relacionamentos. Não é um fim em si mesmo, apenas uma fase que pode ter início, meio e fim.

Devemos fugir desta armadilha ideológica. O casamento é o que a Palavra de Deus diz que é e ponto final. Não há o que dizer nem mais, nem menos sobre o assunto.

Que nossos líderes estejam prontos a agir em defesa do direito de permanecer casado, abrindo mão do que pensamos que somos. Que paguemos o preço de ser o que queremos ser em detrimento de não sermos o que os outros querem que sejamos.

Se Jesus morreu pela sua noiva, qual sacrifício estou disposto a fazer pela minha família?

Shalom e até a próxima!

Pr. Jaaziel Marcelo

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

E POR FALAR EM "PADROEIRA" DO BRASIL....



"Os ídolos deles são prata e ouro, obra das mãos dos homens. Têm boca, mas não falam; olhos têm, mas não vêem. Têm ouvidos, mas não ouvem; narizes têm, mas não cheiram. Têm mãos, mas não apalpam; pés têm, mas não andam; nem som algum sai da sua garganta. A eles se tornem semelhantes os que os fazem, assim como todos os que neles confiam." Salmo 115.4-8



Fonte: Portal Terra

Neste dia, 12 de outubro, o Brasil deveria comemorar 3 datas: Dia das Crianças, Dia do Descobrimento da América e, desde 1980, o dia da padroeira do país a Aparecida.

Por um momento gostaria de re-lembrar algumas coisas:

1) PADROEIRA: a palavra "padroeira" significa protetor, defensor, patrono. Vem da raíz "padre" que significa pai. Se ela é uma mulher, como pode ser pai?


2) MÃE DE DEUS: essa falácia é antiga. Admitir que, por ter sido a genitora do Senhor Jesus concedeu-a o direito de ser chamada mãe de Deus, contraria diretamente a ordem cronológica de toda a criação. Deus não foi gerado por ninguém. Ele é o Criador. O começo e o fim de todas as coisas.

3) IMAGEM: Segundo o Dr. Pr. Aníbal Pereira dos Reis ex-sacerdote, ordenado em 1949, formado em Teologia e Ciências Jurídicas pela Pontifica Universidade Católica de São Paulo, em seu livro A Senhora Aparecida, Edições Caminho de Damasco Ltda, SP, 1988; trata-se de uma grande armação do padre José Alves Vilela , pároco da matriz local. Segundo suas investigações, foi o padre José Alves Vilela quem colocou a imagem no rio e iniciou planejadamente a divulgação dos supostos milagres, além de estar manipulando todo tempo a imagem e divulgando seus supostos milagres.

Assim sendo, recomendo a leitura do excelente artigo do Centro Apologético Cristão de Pesquisas (http://www.cacp.org.br/catolicismo/artigo.aspx?lng=PT-BR&article=131&cont=1&menu=2&submenu=3)

Além de um bom esclarecimento, veremos que há indícios fortíssimos de armação católica.

Uma coisa que sempre me deixa chocado é a célebre frase: "Peça à mãe que o filho dá!".

Sinceramente, quando alguém está doente, ele vai ao médico. A mãe do médico, por mais bondosa que seja, não vai influenciar em nada na atuação do filho. Gostaria de recomendar aos católicos que, na próxima vez que ficarem enfermos, procurem as mães dos médicos e experimentem pedir a elas que mandem seus filhos médicos tratar de todos GRATUITAMENTE.

Veja se eles atendem...

Que neste dia, lembremos unicamente do nosso eterno amigo JESUS CRISTO. Só nEle há salvação.

Que o Eterno Senhor tenha misericórdia de todos nós...

Shalom e até a próxima!

Pr. Jaaziel Marcelo

Compartilhe